17 de julho de 2010


Embaixo das cobertas o mundo não me afeta, consigo até sorrir, deitada o dia inteiro, contei pro travesseiro tudo que dói em mim, sem medo contei meus erros, contei o que ninguém conseguiria ouvir, contei dos meus sonhos, dos meus desejos, dos meus amigos, das minha alegrias e escutando música eu lembrei de um passado que está presente, contei o que eu queria no meu futuro, o que me faltava, de quem saudade eu sentia, e percebi que tudo que eu vivi, toda magia que sentir é impossível que seja a mesma eternamente.